O seu inquilino não paga as rendas?

“Quando o arrendatário não paga a renda:

a) por um período igual ou superior a três meses, ou;

b) se atrasar (mais do que oito dias) no pagamento da renda acordada por mais de quatro vezes seguidas ou interpolada num período de 12 meses, o senhorio pode resolver o contrato de arrendamento.

O senhorio tem de comunicar ao arrendatário a resolução por carta registada com aviso de receção, onde fundamentadamente invoque a obrigação incumprida e, na hipótese prevista na alínea b), o senhorio apenas pode resolver o contrato se tiver comunicado ao arrendatário, depois do terceiro atraso imputável ao arrendatário, que é sua intenção pôr fim ao arrendamento. De referir que o arrendatário pode obstar à resolução do contrato de arrendamento se regularizar as rendas vencidas e não pagas no prazo de um mês, só podendo utilizar este “mecanismo” uma vez.

Se não o fizer e se o senhorio tiver comunicado a resolução do contrato de arrendamento em obediência aos preceitos legais, pode, então, iniciar um procedimento especial de despejo, que é um meio processual que se destina a efetivar a cessação do arrendamento, quando o arrendatário não desocupa o locado. De salientar que este procedimento apenas pode ser utilizado relativamente a contratos de arrendamento cujo imposto do selo tenha sido liquidado ou cujas rendas tenham sido declaradas para efeitos de IRS ou IRC. O pedido de pagamento de rendas pode ser deduzido cumulativamente com o pedido de despejo, desde que tenha sido comunicado ao arrendatário o montante em dívida.”

Fonte: Dinheiro Vivo

Dedicar-nos-emos à sua defesa com rigor e profissionalismo, prestando-lhe assistência e acompanhamento na prestação deste serviço jurídico.
Fale connosco! Porque o nosso exclusivo objectivo é alcançar a sua satisfação e o seu sucesso.

Subscrever newsletter

Subscreva e mantenha-se actualizado.